CNB/MG entrevista o desembargador do TJ/MG Marcelo Rodrigues

Desembargador TJMG

Na entrevista, o magistrado ressaltou a importância do bom relacionamento entre a classe extrajudicial e o Poder Judiciário

Juiz de Fora (MG) – O Colégio Notarial do Brasil – Seção Minas Gerais (CNB/MG) entrevistou o desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ/MG), Marcelo Guimarães Rodrigues, no último dia 24 de novembro após o II Encontro Regional em Juiz de Fora.

Durante a conversa, Rodrigues discorreu sobre sua nomeação para Superintendente de Gestão e Aparelhamento do Fundo Especial do Tribunal de Justiça de Minas (FEPJ), ocorrida em 27 de julho deste ano, e ressaltou a importância de um bom relacionamento entre o judiciário e a classe extrajudicial.

Segundo o desembargador, a sua nomeação faz parte de uma convocação do presidente do Tribunal de Justiça e do corregedor-geral de Justiça, que tem por finalidade colaborar com propostas concretas de aperfeiçoamento e otimização do Fundo Especial de Reaparelhamento do Poder Judiciário Mineiro. Além disso, visa conferir o aumento significativo de qualidade e excelência dos serviços prestados no Estado.

“Como bom soldado não escolhe desafios, me apresentei ao chamado para ajudar no que for possível. Coordeno e superintendo um grupo de trabalho integrado por magistrados e servidores de alto nível, todos empenhados à causa pública, no aprimoramento dos serviços prestados à população mineira, órgãos públicos e pessoas jurídicas, inclusive no que se refere às atividades das serventias do extrajudicial”, destacou.

Como principais planos e objetivos para essa nova gestão, Rodrigues mencionou a identificação de inconsistências, internas e externas, o aprimoramento do controle de rotinas e ampliar a prestação dos serviços do judicial e do extrajudicial em Minas.

Para o magistrado, esta iniciativa beneficiará a todos, especialmente, o jurisdicionado e usuário dos serviços de cartórios, o que ainda terá bons reflexos para o Tribunal, Estado e Municípios. “Trata-se de um trabalho que deve ser permanente, sempre visando o aprimoramento da atuação do Poder Judiciário”, ponderou.

Já sobre a importância do bom relacionamento de toda a classe extrajudicial com o Poder Judiciário, o desembargador frisou que os serviços prestados pelos Tabelionatos e Ofícios de Registros Públicos “são verdadeiras oficinas de segurança jurídica preventiva e, como tal, as atividades pelos mesmos desenvolvidas são vitais para o pleno exercício da cidadania e, até mesmo, ao Estado Democrático de Direito”.

Para Rodrigues, o serviço confere “concretude a diversos direitos fundamentais” elencados no corpo de nossa Constituição. “Como tal, o Tribunal mineiro, considera essas atividades de importância estratégica para o bom desenvolvimento dos serviços prestados à população, mas não apenas por isso, também porque possuem capilaridade em todos os municípios do vasto território mineiro”, ressaltou o desembargador.

Por fim, o desembargador informou que eventos como II Encontro Regional é uma oportunidade para fortalecer a união entre a classe extrajudicial e o Poder Judiciário.

“Esse Encontro Regional em Juiz de Fora é mais uma oportunidade de estreitar o saudável contato com os tabeliães e oficiais registradores para a reflexão e debate a respeito de temas atuais e inovadores dentre suas atribuições jurídicas e administrativas, com impacto positivo na excelência dos serviços prestados”, finalizou.

Leia aqui a íntegra da Portaria.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *